Viticultura

Na região de vinhos de Lisboa o clima é temperado, suave, com chuva e humidade na estação certa. Porém existem muitos vales e montes que dão origem aos mais diversos microclimas. Acresce que a qualidade e características do solo também variam dando origem a diferentes terroirs. Finalmente a proximidade do oceano Atlântico ajuda a moderação climática sem grandes oscilações de temperatura, com Invernos e Verões moderados, e orvalho nocturno facilitando a maturação regular.

Os 200 ha de vinhas da Rui Abreu Correia, Herds., na região de Lisboa são preparados para vindima mecânica (12 a 15 ha/ dia), para evitar o equinócio (21 de Setembro), quando há previsão de 90% de chuva.

Nos vinhedos da RAC Herds. a planta tem alimentação com material orgânico, proveniente de resíduos domésticos. Todo esse material tem análise que controla os metais pesados.

A nutrição das videiras é feita duma forma racional sem excessos nem carências, pois que a cedência da água absorvida e dos nutrientes, verifica-se à medida das necessidades da videira.

O resultado final é uma produção de alta qualidade, bastante acima da média da produtividade em Portugal.

Todo o vinho é pensado em função do cliente e dos gostos do mercado, resultado de mais de 20 anos de parcerias com distribuidores estrangeiros, nomeadamente no mercado inglês, o mais exigente e difícil do mundo.

A DFJ só usa barricas francesas compradas à Seguin Moreau, e possui tanoaria própria para a sua restauração.

LWTF | stand #Z22 | 3 – 5 Maio